6 de jun de 2017

Formatação dos dispositivos

A formatação do dispositivo prepara-o para receber uma forma de armazenamento, independente do sistema. Ela pode ser entendida como a preparação do dispositivo para receber informações e saber como armazená-las e não necessariamente a remoção de todo o conteúdo como a maioria das pessoas imagina. Formatar significa dar forma a algo por isso não confunda formatação com a remoção de informação do disco. A formatação está ligada a forma que as novas informações serão colocadas no disco.

Partição primária, lógica e estendida

 

Partição primária

As partições primárias são as principais para um disco rígido, pois elas serão aceitas diretamente. A principal ideia para o particionamento do HD é torná-lo capaz de armazenar diversos tipos de informações em diversos sistemas de arquivos, e assim, ao invés de se ter um HD para cada tipo de sistema de arquivos o computador irá utilizar apenas um único dispositivo.
A quantidade total de partições primárias são quatro, mas se o usuário desejar ter mais de uma ele deverá optar por expansores (ou extensores).
O GNU/Linux nomeia os seus HD's de forma única (como foi explanado anteriormente) e também o fará com cada partição, com o propósito de não sobrescrever ou perder uma determinada partição.
Os nomes são divididos de acordo com a sua posição no computador: primário principal (a), primário escravo (b), secundário principal (c) e secundário escravo (d); e de acordo com a partição que vai de um até quatro.


Estendida

Quando um usuário deseja instalar mais de um sistema operacional, ele procura o particionamento para fazê-lo, mas pode cair no problema de não ter mais espaços primários (limitados em quatro) para a criação de novas partições, mesmo existindo espaço no disco. Isso é solucionado com a extensão, e com ela é possível pegar uma partição primária e criar dentro dela várias partições (dependendo do sistema operacional), no GNU/Linux podem ser criadas mais onze partições dentro da estendida.
A extensão não pode ser tratada como uma partição, ela estaria no caso "colocando" um outro HD "dentro" do HD existente, e por isso deverá ser contado como uma partição primária, exemplo: se já existem duas partições primárias ocupadas, a extensão pegará a próxima partição livre.
As partições que forem criadas dentro da extensão são chamadas de partições lógicas.


Partição lógica

As partições lógicas estão embutidas dentro da extensão, e servem como novas partições, assim como as partições principais, porém não possuem o mesmo "poder" que as outras possuem.
Normalmente as partições lógicas são utilizadas para armazenar extensões de outros sistemas operacionais, que servem como área de armazenamento de segurança, os famososbackup.
Essas partições também servem para o armazenamento de outros sistemas operacionais, tais como a colocação de áreas pertinentes ao bom funcionamento do mesmo (essa parte será melhor esclarecida mais a frente).
Elas são no total onze áreas lógicas, mas alguns sistemas operacionais permitem a criação de mais áreas, pois as partições dependem tanto de hardware quanto de software para serem divididas.



 Fonte: Wikibooks