8 de ago. de 2017

Natureza e Importância do Empreendedorismo



Em 1994, um executivo bem empregado num fundo de investimentos teve uma inspiração. Saiu para caminhar com seu chefe e lhe contou sobre a sua ideia de abrir uma loja virtual de venda de livros. O chefe achou que a ideia era interessante, mas somente para alguém que não tivesse um bom emprego. 48 horas depois, o executivo, embora tendo um excelente emprego, havia decidido seguir seus instintos e tinha deixado para trás o seu emprego. A nova empreitada, porém, não foi nada fácil. Teve prejuízos por seis anos seguidos e somente no sétimo ano conseguiu ter lucro.  Mas Jeff Bezos, seu fundador e presidente, nunca teve pressa em ter lucros. Sua preocupação foi sempre a de construir uma grande empresa e por isso manteve seu foco em oferecer um atendimento de alta qualidade e garantir o crescimento da receita. Em 2011, a empresa Amazon registrava uma receita de 48 bilhões de dólares e tinha mais de 56 mil funcionários. (BYRNE, 2012).

Você já conhecia a história do fundador da Amazon, a livraria virtual que mudou completamente a indústria de livros, e hoje vende praticamente todos os produtos de consumo familiar, exceto automóveis e imóveis?

Quando a Amazon foi criada, estava claro que algo estava mudando, que ela era uma ameaça à maneira tradicional de vender com endereço fixo, numa loja física, com trabalhadores lhe atendendo e com estacionamento para o seu carro. Ela abriu as portas em 1995 e em apenas meio ano de operação vendeu meio milhão de dólares. Nada mal para uma empresa que acabara de abrir as portas. No ano seguinte, vendeu 15,7 milhões de dólares, aumentando a venda em inimagináveis 30 vezes! No ano seguinte, em 1997, ainda cresceu 843%! E, como dizem nos Estados Unidos, o resto é história. De 2011 para 2012, mesmo já sendo uma das gigantes do varejo, cresceu 33%, de 48 bilhões para 64 bilhões de dólares! (AMAZON 1997-2013).

Apesar da clara ameaça representada pelo novo modelo de negócio, as grandes livrarias demoraram a reagir, resistindo a aceitar o novo tipo de livraria e desejando acreditar que o novo modelo conquistaria apenas uma parte do seu mercado. Uma provável razão era o desejo de manter uma maneira de trabalhar que era mais próxima do cliente, mais personalizada, dando recomendações aos clientes sobre os lançamentos ou clássicos ou simplesmente novas tendências. A maneira tradicional certamente possuía suas virtudes.

O incrível crescimento da Amazon certamente tirou clientes de uma das gigantes do setor tradicional. A Borders, famosa rede de grandes livrarias, com mais de 1200 lojas espalhadas nos Estados Unidos em 2003, acabou fechando as portas das suas últimas lojas, em 18 de setembro de 2011 (JARZEMSKY, 2011). 



Reflexão;


Se você nasceu pobre, não é erro seu. Mas se você morrer pobre, a culpa é sua.
Bill Gates


As pessoas consomem cada vez mais e em um ritmo acelerado eletrônicos, alimentos, roupas, notícias, produtos de beleza e outros... Em um momento foi necessário alguém sair da mesmice e colocar a mão na massa, ter a ideia de empreender começando por pesquisar, estudar o mercado, planejar e apertar o gatilho não obrigatoriamente criar algo inovador. Empreender é simplesmente, sair da monotonia diária quebrar o fluxo e partir pra guerra. É comum as pessoas viverem seguindo o ritmo da engrenagem, viverem uma vida rotineira, não ligam em escalar a mesma montanha várias vezes pelo caminho mais difícil, vivem de forma tranquila, comprando, usando, pagando dívidas, recebendo todo mês o seu salário.


O indivíduo que entra no mercado de trabalho tem enfrentado cada vez mais o grande desafio da menor oferta de empregos, além de salários relativamente menores. Ao mesmo tempo, aqueles que se prepararam, adquirindo mais conhecimento e desenvolvendo competências e habilidades empreendedoras, ficam na posição privilegiada de poder iniciar um negócio próprio, no qual as possibilidades de rendimentos ganham dimensões maiores.


John Byrne, estudioso de grandes empreendedores, define o empreendedor contrastando-o com o mero sonhador (BYRNE, 2012). De fato, é muito fácil ter boas ideias, mas é a capacidade de dar esse passo adicional de sacrificar a segurança de um emprego, de ter a coragem de correr riscos de perder tudo e efetivamente agir que caracteriza o empreendedor.


Nenhum comentário:

Postar um comentário